Dia

dezembro 8, 2010

Dois finalistas do Prêmio Estadual do Parceiros Voluntários são de Nova Prata

Foram conhecidas nesta segunda-feira os projetos da Serra escolhidos para disputar a final estadual do Prêmio Parceiros Voluntários. A iniciativa, que premia ações que incentivam o voluntariado, escolheu cinco atividades, desenvolvidas nas cidades de Caxias do Sul, Nova Prata e Bento Gonçalves, para disputar em maio do próximo ano, em Porto Alegre, o prêmio com instituições de todo o Rio Grande do Sul. A divulgação ocorreu na reunião-almoço da Câmara de Indústria e Comércio (CIC).

Os projetos “Viajando na Leitura” da Escola Estadual Reinaldo Cherubini e “Olha o Óleo”, da Escola Municipal Guerino Somavilla, ambas de Nova Prata; “Brincar para aprender”, da Escola Estadual Irmão José Otão e a campanha “Tempo de fazer a diferença”, as duas de Caxias do Sul; e o Centro de referência da Mulher em Situação de Violência, de Bento Gonçalves foram as escolhidas.
O Prêmio Parceiros Voluntários ocorre a cada dois anos e existe desde 2001.
Fonte: Pioneiro.

Cinco iniciativas representam a região da serra na final estadual do Prêmio Parceiros Voluntários

A reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) nesta segunda-feira (6) foi dedicada ao voluntariado. A ONG Parceiros Voluntários de Caxias do Sul reconheceu e premiou cinco iniciativas de responsabilidade social, em alusão ao Dia Internacional do Voluntário, comemorado no domingo (5). O prêmio da ONG encontra-se na sexta edição. Dentre oito projetos de cidades da Serra Gaúcha, cinco foram selecionados e representam a região na final estadual da entidade em maio de 2011.

A vice-presidente da Parceiros Voluntários de Caxias do Sul, Ana Izabel Amoretti Caravantes, entregou os troféus aos finalistas. São eles: projeto “Viajando na Leitura”, da Tribo Guardiões da Paz, da Escola Estadual de Ensino Fundamental Reinaldo Cherubini de Nova Prata; campanha “Tempo de fazer a diferença”, da DKW Brandesign e Fotobjetiva de Caxias do Sul; projeto “Olha o óleo”, da Tribo Guerino Somavilla da Escola Municipal de Ensino Fundamental Guerino Somavilla, de Nova Prata; projeto “Brincar para aprender – ano VI”, da Tribo Visão Solidária, da Escola Estadual de Ensino Médio Irmão José Otão, de Caxias do Sul; e Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência (Revivi), de Bento Gonçalves.

Ana defendeu a prática do voluntariado como um conceito de responsabilidade social, uma mudança que parte do próprio indivíduo para tornar melhor o lugar onde vive. “O voluntariado minimiza os efeitos de uma sociedade desigual. Ele não é assistencialismo, e sim cidadania. Não existe retorno financeiro, mas quando a pessoa se doa de coração ao trabalho voluntário ela torna mais feliz interiormente”, argumentou.

De acordo com a vice-presidente da Parceiros Voluntários, a entidade em Caxias do Sul existe há 11 anos, possui 900 voluntários, 33 empresas parceiras e 82 entidades assistenciais atendidas. Ana destacou que a participação empresarial ainda é tímida e torce para que a partir de fevereiro, quando assume a liderança da entidade, os números aumentem. “Nosso desafio é crescer. Não precisa ter tempo para ser voluntário basta querer, pois trabalho tem”, resumiu.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CIC